quinta-feira, 30 de março de 2017

Reforma política. A força popular só virá com o voto distrital

Como funciona o voto distrital?
De forma simples e objetiva e sem entrar em muitos detalhes, o voto distrital significa a divisão dos estados em distritos e cada distrito teria seus candidatos, sendo que os eleitos seriam proporcionais a representação de seu distrito e só poderia obter votos dentro do distrito. Por exemplo: digamos que a população da região de União da Vitória corresponda a 2,0% da população paranaense. Nesse caso então ela teria direito a eleger 2,0% dos deputados estaduais e federais do estado. Nesse exemplo, nós teríamos uma eleição regional onde os candidatos só poderiam concorrer regionalmente. Acabando com a farra, como acontece atualmente, de abandonar a sua origem e irem buscar votos em outras cidades e regiões para se perpetuarem no poder, ou seja, acabaria com os chamados candidatos paraquedistas. Outra vantagens é que jamais correríamos o risco de ficar sem nenhum representante regional, fato que acontece, por exemplo, com Porto União em Santa Catarina.
Porto outro lado, nesse sistema, jamais aconteceria o que já aconteceu com Aníbl Kuri e Valdir Rossoni, que só se mantiveram no poder com sucessivas reeleições porque expandiram suas bases eleitorais para outras regiões e fugiram do crivo da avaliação de suas origens, caminho que o atual deputado Hussein Bakri esta seguindo mais uma vez. No voto distrital, se o deputado não atender a sua base, fatalmente na próxima eleição ele seria substituído por outro candidato. E nem conseguiria impedir a candidatura de outros nomes, como já houve em nossa região ou lançar candidatos "laranjas" para impedir ou atrapalhar a eleição de seus concorrentes regionais. O voto distrital é o único caminho para impedir que políticos tornem a política profissão e permaneçam no poder de forma perpétua, como aconteceu com Aníbal Kuri, Valdir Rossoni e é a trajetória planejada por Hussein Bakri. Com o voto distrital acabaria esse negócio de fazer "acertos" para que deputados eleitos aqui passem a "representar" outras cidades e regiões com interesse em receber votos lá e com isso conseguirem sucessivas reeleições. Com o voto distrital a única maneira de se reelegerem sucessivas vezes seria fazer um trabalho tão bom que a população regional o mantivesse em alta consideração e votos. VOTO DISTRITAL é o principal item da reforma politica que precisamos, o resto é conversa para enganar mais uma vez e fazer do povo, verdadeiros "troxas".