sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Qual é o papel das entidades representativas no desenvolvimento econômico e social de nossas cidades?

Inicialmente vamos deixar bem claro que o título acima é uma pergunta que não pretendemos dar uma resposta nesta postagem, apenas levantar uma questão a ser debatida por todos os segmento da sociedade.

Imagem meramente ilustrativa - Sem vínculo com questões locais

Uma rápida pesquisa sobre a atuação das principais entidades representativas que atuam diretamente ligadas ao desenvolvimento social e econômico de uma cidade, entre elas a CDL, Associações Comerciais e Industriais e alguns Sindicatos, percebemos que o primeiro fato e de maior notoriedade entre essas entidades é que, em todas as cidades onde essas entidades tiveram ou têm uma atuação conjunta e forte junto a sociedade em geral, as cidades ganharam muito com isso, transformando-se em cidades prósperas e de altíssimo grau de desenvolvimento social e econômico.
Lutas memoráveis encampadas por essas entidades desde a década de 80, como foi a questão da duplicação da BR 277 na região de Cascavel e Foz, mais do que a conquistas em si, fato que ainda não foi totalmente concluído, gerou engajamento de toda a sociedade, poder publico, mídias e entidades representativas, gerando inclusive outras conquistas, muito além da inicialmente proposta. Para não repetir exaustivamente exemplos do sudoeste e oeste do Paraná (mas que podem ser considerados exemplos), podemos olhar também para as inúmeras conquistas da região litorânea de Santa Catarina, onde a maioria absoluta das conquistas tem a participação efetiva da CDL e Associações Comerciais entre outras entidades.  Talvez algum defensor do "atraso" diga: "Ahhh, mas essas cidades são"....  Resposta: a grande maioria dessas cidades já foram pequenas e com dificuldades, especialmente as do sudoeste e oeste do Paraná, e, se hoje são o que são é porque seus representantes tanto da esfera publica quanto da iniciativa privada se uniram de fato em prol da cidade e não apenas de interesses pessoais ou de pequenos grupos ou segmentos.
Defender interesses do segmento comercial e promover campanhas comerciais como campanha de "dia de pais, mães, namorados, páscoa, natal entre outras com o propósito de aumentar as vendas. Prestar serviços como SPC e mais alguns é justo, correto e sem questionamentos. Entretanto com certeza não é só isso que irá promover o desenvolvimento de uma cidade. Se essas entidades continuarem "fechadas" em interesse meramente burocráticos em defesa de seus segmentos, como é nitidamente o caso de Porto União da Vitória, estarão sem duvidas fadadas ao total descrédito e ao seu fim.  Não vamos mostrar números, mas a rápida enquete, promovida por este editor, mostrou que a maioria absoluta da sociedade de Porto União da Vitória não consegue perceber com clareza a atuação dessas entidades em nossas cidades, tendo por consequência uma baixo conceito a respeito delas.
Que nossas cidades ficaram para trás no processo de desenvolvimento econômico e social de nossos estados, somente quem for "alienado", desinformado ou defensor dos interesses da minoria poderosa da cidade, não vai concordar. Entretanto ainda é possível mudar essa realidade, mas para isso é preciso que aja união e engajamento de todos em fazer agora o que já devia ter sido feito há muito tempo. Lutas e campanhas é o que não falta em nossas cidades, desde a questão de infraestrutura rodoviária (os contornos ligando nossas tão importantes BRs, por exemplo) como em questões de conscientização e mudanças de paradigmas, conceitos e visão de futuro. Sem esquecermos que precisamos aprender a escolher melhor nossos representantes políticos, pois, queiramos nós ou não, eles são importantíssimos nesse processo, e há muito tempo têm deixado muito a desejar, porém temos a oportunidade de começar a mudar isso já no próximo ano.
Será que agora já podemos responder a pergunta título dessa postagem? espero que tenha servido como estimulo ao debate...