quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Ratinho Jr. e Hussein Bakri se negam a assinar a CPI da Valor

"Não rompi com o governador e aceitaria o apoio de Beto Richa na campanha rumo ao Palácio em 2018"
Ratinho Jr.

Em entrevista a "imprensa da capital", quando do seu retorno a Assembléia Legislativa, Ratinho Jr. deixou claro que pretende ser candidato a governador no próximo ano e que aceitaria Beto Richa como seu companheiro de palanque, inclusive colocou sua sigla, o PSD, a disposição do atual governador se ele quiser ser o candidato ao senado de sua chapa, dispondo-se assim a também carregar o "pesado" grupo político do governador atual. Principal tom de suas entrevistas mais recentes é o "NÃO" categórico a CPI da "Valor" que investigaria denuncias de corrupção e desvios de recursos na ordem de R$ 20 milhões.   Na mesma linha o deputado União Vitoriense, Hussein Bakri, sombra do Ratinho na maioria das fotos, que havia ameaçado abrir investigação na Comissão de Educação da casa, desistiu e não assinou a abertura da CPI que conta com apenas 13 assinaturas de 18 necessárias.
Entretanto o FANTASMA das delações premiadas rondam a Assembléia e o governo Beto Richa, além é claro de ameaçar seu principal articulador político, o ex-presidente da AL, Valdir Rossoni. Este já citado de forma explícita e detalhada pelo dono da Valor em sua delação. Agora o fantasma que ronda é o da delação do ex-diretor da Secretaria de Educação do Paraná, Mauricio Fanini, que fez acordo de delação premiada com a Justiça.
Em União da Vitória a pergunta que não quer calar é: "Porque o Deputado Hussein Bakri no início do ano trocava farpas com Rossoni e queria investigar as denúncia sobre a Construtora Valor, e agora que as denúncias estão sendo -escrachadas na imprensa da capital e do país- por denúncias, prisões do dono da Valor e de entes públicos e delações, o deputado recuou e se recusa até mesmo a assinar a CPI. 
Quem se habilita a explicar?