sexta-feira, 18 de maio de 2018

Éramos felizes e não sabíamos!

"Os governos militares foram os melhores que o Brasil já teve"
Wander Pugliesi - Professor e historiador
Paulo Lemos - Jornalista e blogueiro

Embora considerado nazista por alguns, o Professor e historiador de Blumenau-SC, Wandercy Antonio Pugliesi (foto abaixo), fala em sua entrevista sobre fatos e dados incontestáveis da época dos governos militares, de 1964 a 1985.

Entre os dados citados pelo professor e historiador está a posição econômica que o Brasil ocupava no mundo, 49ª em 1964 e 8ª em 1985. Outro dado é que o Brasil tinha 400km de asfalto em 64 e durante o período militar foram construído 65.000 km de asfalto. Obras como a Itaipu Binacional, a Ponte Rio-Niteroi entre dezenas de obras de grande porte foram feitas todas nesses período. A crianção da Embrapa, Embraer, Polícia Federal, Polícia Rodoviária, Banco Central, Programas como Pro álcool, o programa de geração de energia elétrica onde foram construídas 17 hidrelétricas, entre elas a já citada Itaipu, são apenas algumas das dezenas ou centenas de razões, para quem viveu este período, chamado de “Ditadura Militar”, encher o peito e com saudades afirmar: “Éramos felizes e não sabíamos”.
Para quem quiser mais informações pode pesquisar no Google ou Youtube por: Professor Wander Pugliesi, e poderá obter dezenas de informações concretas e históricas sobre o período dos Governos Militares no Brasil, entre 1964 e 1985.
PESQUISA
O Instituto de Pesquisas Vanguarda, realizou no dia 30 de abril uma rápida enquete de opinião pública em Porto União e União da Vitória, com a seguinte pergunta:

1- Você apoiaria uma intervenção militar no atual momento do governo brasileiro?  SIM ou NÃO?

O questionamento foi feito em duas faixas etárias: Jovens até 35 anos, e aqueles com mais de 35 anos, veja o resultado:

Até 35 anos: SIM ................ 54,0 %
NÃO ............... 41,0 %
Não respondeu..   5,0 %
______________________________________________________
Acima de 35 anos: SIM ........ 48,0 %
NÃO ........ 47,0 %
Não respondeu...   5,0 %